{Os Barbudos e Algumas Curiosidades}

Encontro de barbudos

Atualmente a barba é uma tendência fortíssima. Seja por uma questão de estilo ou por atrair olhares do público feminino – afinal, hoje em dia, barba é fetiche. Existem barbudos de todos os tipos: os de barba aparada, grande, bigodudos, cavanhaques, barbas com trancinhas… E o que mais a imaginação, e a barba, permitir.

Mas barba é um assunto antigo, os primeiros povos a usarem barba, que se tem registro, foram os gauleses, tanto que por isso os famosos Asterix e Obelix tem um generoso bigode. Já os caldeus e babilônios mantinham suas barbas trançadas, lavando-as com óleo e prensando com a ajuda de um ferro quente (um beijo ta-ta-ta-ta-ta-ta-taravó da chapinha *muack*).

Algumas sociedades antigas, como o egípcios, mantinham a barba como forma de definir os status social, deixando os nobres com o direito de usar a barba e proibindo os sacerdotes. Ainda nos povos antigos, os gregos eram muito conhecidos por suas barbas. Os “famosos” (artistas, pensadores, líderes) mantinham e cultivavam os pelos faciais. Porém depois de alguns confrontos e guerras, acabou entrando em desuso, por argumentarem que os soldados poderiam ser agarrados pela barba, deixando-os em desvantagem. Assim, Alexandre, o Grande, ordenou que todos os seus soldados se desfizessem das suas barbas.

Em épocas mais próximas, mais precisamente na primeira década do século XX, a barba caiu em desuso, coisa que pouco depois também aconteceu com os grandes bigodes. Rosto de bebeê, lisinho e sem pelos, se tornou simbolo de hogiene e beleza. Mas com o movimento hippie, na década de 60, a barba voltou a ser usada.

Na Itália houve uma pesquisa em que mostrava que vendedores barbados eram vistos como mais digno de confiança, e por isso fechavam mais negócios. E a confiabilidade e a barba também valiam para políticos, transmitindo assim mais confiança (mas isso funcionava com barbas aparadas e bem cuidadas, e não pras rebeldes e desgrenhadas). Até porque, no Brasil, a barba foi simbolo da esquerda comunista e do movimento sindical no período da ditadura.

No atual cenário mundial barbas, em algumas situações, também podem ser vistas de forma negativa, afinal elas são facilmente associadas à movimentos religiosos radicais e ao terrorismo.

Existem alguns récordes no Guiness Book relativo aos barbudos, a mais longa barba masculina vive no Canadá e pertence ao indiano Sarwan Singh medindo, nada mais, nada menos que 1,89 metros. Já o maios bigode pertence ao, também indiano, Kalyan Ramju Sain e possuí o inacreditável comprimento de 3,39 metros, ele não apara o bigode desde 1976.

Existe também um concurso, World Beard and Moustache Championships,  onde anualmente são escolhidos os mais belos os mais estranhos bigodes, cavanhaques e barbas do mundo. Neles existem várias categorias de bigodes e barbas. É possível ver mais sobre isso aqui.

E diante do atual sucesso que as barbas fazem existem comunidades e grupos nas redes sociais que falam sobre esse tema. E uma dessas comunidades, a fanpage “Faça Amor, Não Faça a Barba”, organizará neste sábado (23/11/13), aqui em São Paulo, o seu primeiro encontro que pretende reunir vários barbubos e admiradores (admiradora também 😉 ) para conversarem e se conhecerem. O encontro também contará com sorteio de brindes e entrega do prêmio do concurso do “barbudo favorito”.

.

.

Encontro “Faça Amor, não Faça a Barba”
Data: 23/11
Hora: Das 15hrs às 22hrs
Local: Kabul Bar (Rua Pedro Taques, 124, Consolacão/SP)

;.

.

(Fonte: Aqui/Imagem: Reprodução – Caio Thomé)

F&C - Karol Oliveira I

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

Anúncios

{Vlog da Karen do Pequena Notável sobre o Encontro}

A fofa da Karen Portela, do blog Pequena Notável, fez um vlogzinho com um pouquinho do making of do encontro e mais um pouco sobre o que ela gravou no dia. Pra quem gosta de vídeo e quer rir da cara da coleguinha que vos fala, acho que vale a pena o play, rs.

.

Dá o play Macaco 😉

PS: Eu já tirei da internet o vídeo citado, tá?! rs


;

;

F&C - Karol Oliveira

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Os Ruivos e algumas curiosidades}

encontro-de-ruivas-sp edit

As variações dos tons de ruivo estão em alta e fazem a cabeça de várias mulheres (e homens também). É possível até dizer que virou tendência, sejam as madeixas naturais ou tingidas. Tanto que diversos filmes, séries, novelas e comerciais estão fazendo questão de colocar atores e modelos ruivos no seu casting. Em um artigo publicado na revista Science diz que foi encontrado o gene conhecido como “MC1R” que é um variante do gene responsável pela ruivice e suas características nos neandertais, mostrando que os ruivos já fazem parte do mundo há bastante tempo, mesmo que hoje em dia eles só representem entre 1% e 2% de toda população mundial. Diante dessa “raridade” e toda história que envolve essa cor dos fios, existem até alguns ensaios fotográficos registrando ruivos.

A vida dos ruivos naturais nem sempre é fácil e glamorosa, mesmo hoje em dia. Muitos durante a infância são alvos constantes de bullying que lhes rendem apelidos não muito divertidos, como ferrugem, água de salsicha e o que mais a imaginação permitir. Há muito tempo, na Idade Média, os ruivo podiam ser perseguidos simplesmente por terem os cabelos acobreados, eram chamados de bruxos e hereges e, muitas vezes, queimados na fogueira. Na Grécia acreditavam que depois de morrerem, os ruivos, poderia se transformar em vampiros.

Mesmo depois de centenas de anos e fácil acesso à informação, em alguns lugares do mundo esse preconceito ainda existe. A Grã-Bretanha é um dos lugares em que mesmo nos dias de hoje ainda são preconceituosos com a cor de cabelo, como se a tonalidade dos fios pudessem dizer o quão boa ou não uma pessoa é. Em 2007 uma família inglesa de ruivos disse à BBC Brasil que teve que mudar de casa duas vezes por motivos de agressões e ofensas devido a cor do cabelo (oi?!). Existe uma teoria que sugere que esse preconceito contra os ruivinhos pela Europa seja o resultado de uma antiga tensão histórica entre os Ingleses, os irlandeses e escoceses.

Enquanto em Edimburgo (no dia 10/08/13) os ruivos de lá fazem um encontro-passeata contra o preconceito, nas terras brasileiras os ruivos são admirados, de uma forma geral. Tanto que em São Paulo no dia 08/09 haverá o “2º Encontro de Ruivos e Ruivas de São Paulo”. Mas diferente dos encontros Europeus, que já existem na Irlanda, Holanda e alguns outros países, em São Paulo o encontro não só espera receber os raros ruivos naturais, como também os “tingidos, laranjinhas, vermelhinhos ou mesmo só admiradores”. Esse encontro paulista foi idealizado pra trocar experiências e conhecer gente nova com um gosto comum. A programação contará com sorteio de brindes e mimos, cedidos por apoiadores do evento aos participantes e um “luau urbano”.

2º Encontro de Ruivos e Ruivas de São Paulo
Dia: 08/09/13;
Hora: 12h00;
Local (concentração): Saída do Metrô Trianon na frente da FIESP.
;
;
;
 F&C - Karol Oliveira

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥