{Em Cartaz: THOR – The Dark World}

Thor - The Dark World

Lambuse seus dedos na manteiga da pipoca e limpe na cadeira da frente, pois hoje é dia de cinema!

Sim, minhas leitoras, preparem-se! Hoje é dia de falar do deus do trovão. Vista sua capa de chuva e cuidado para não ficar toda molhada com nossa resenha de hoje: THOR – O Mundo Sombrio (Thor: The Dark World, 2013).

thor the dark world (28)

Poderia terminar essa resenha dizendo apenas isso: ASSISTA O FILME! Mas como eu sei que ainda não tenho tamanho poder de persuasão imediata, tentarei fazer uma resenha mais rápida que o limite do seu cartão de crédito indo embora em dia de liquidação. Depois, farei uma lista batuta com 10 motivos que fazem do Loki o personagem mais maneiro dos filmes da Marvel.

thor the dark world (26)

Sinceramente, eu fui para o cinema sem expectativa nenhuma. Sabe quando você vê aqueles montes de trailers e materiais de divulgação sobre um filme e pensa: “Hum…. Parece que vai ser uma bela bosta.”. Foi bem essa a minha impressão antes de ver o filme, ainda mais depois de ter me empolgado tanto antes de assistir Iron Man 3 e não ter curtido muito. Já estava achando que a Marvel sofreria da ressaca pós-Vingadores.

Felizmente me enganei. O filme é muito bom.

Sinopse pegada Sessão da Tarde: Malekith, um elfo negro do mal, acorda de um longo sono de beleza após ser derrotado em uma guerra por Bor (pai de Odin) muitos anos atrás.

thor the dark world (2)

Como todo vilão de filme de herói, ele quer apenas tocar fogo no puteiro e, com sede de vingança, dominar todos os mundos em uma era de escuridão, aprontando altas confusões. Cabe a Thor, e uma turminha nórdica do barulho, impedir que esse vil inimigo consiga aprontar poucas e boas que até deus Odin duvida.

O filme mantém um bom ritmo, alternando muito bem entre humor, drama e porradaria. A história se passa bem pouco na Terra, então você verá muitas cenas em Asgard, “planeta” natal do Thor. Os mais nerds sentirão algumas leves referências a Star Wars, Senhor dos Anéis e Portal.

Um bom motivo para as meninas (e alguns meninos) assistirem esse filme: Cena longa, em close do Thor sem camisa.

thor the dark world (17)

Só pra te deixar com vontade

Três bons motivos para os meninos (e algumas meninas) assistirem: Kat Dennings, Natalie Portman e Jaimie Alexander.

thor the dark world (23)

Benzadeus!

Senti falta da SHIELD nesse filme. O mundo pegando fogo, o couro comendo e só o deus de capa vermelha se ferrando pra conter tudo aquilo? Cadê Nick Fury? Cadê Coulson? Cadê Aero-porta-aviões? E precisa de tanta maquiagem assim, Thor?

thor the dark world (19)

Aí você me pergunta: “Mas Caio, eu preciso ter visto os filmes anteriores para entender esse?”

Sim, precisa… Quer dizer, não é tão obrigatório assim, mas você vai ficar meio perdida em alguns pontos. E se não assistiu, por favor, crie vergonha na cara e vá assistir!

É um filme básico, leve, com história simples, muita ação, romance e muitas risadas. E é aí que a Marvel acertou. Pra quê fazer um filme ousado, com roteiro rebuscado e personagens densos se a fórmula vem funcionando tão bem? Afinal, ainda é um filme de super herói. Arrisco a dizer que esse filme, dentre os filmes solos de heróis da Marvel, só não é melhor que o primeiro Iron Man. Comparar com Vingadores é sacanagem. Tá em outra categoria.

DICA: Fiquem até o fim dos créditos. Ou melhor, fiquem até a tela apagar. O filme possui duas cenas extra no final.

thor the dark world (18)

Mas quer saber onde eles acertaram mesmo? Trazendo Tom Hiddleston e seu Loki de volta. O Loki é, sem sombra de dúvidas, o grande astro do filme. Ele domina todas as cenas em que aparece, de uma forma tão incrível que eu estou me segurando para não dar mais detalhes.

E falando em Loki:

10 motivos que fazem do Loki o personagem mais maneiro dos filmes da Marvel

1Loki não precisa de filme solo para brilhar

thor the dark world (25)

2 – Loki não precisa de músculos para as mulheres se derreterem por ele

chris hemsworth shirtless thor

3 – Loki sabe apreciar o que é bom

thor the dark world (24)

4 – Loki tira foto com ele mesmo

thor the dark world (3)

5 – Loki manja dos penteados

thor the dark world (21)

6 – Loki é cachorro

thor the dark world (22)

7 – Loki ensina ao amigão da Vila Sésamo que comer Cookie é bom (If you know what I mean)

thor the dark world (29)

8 – Loki imita velociraptor

9 – Loki se diverte com criancinhas

10 – Loki dança pra cacete!

.

Portanto, obrigue o seu bofe te arranjar um para-raios e espere na chuva até que caia um deus nórdico bonitão no seu colo.

E se não tiver bofe (e principalmente se você não torrar com uma descarga elétrica)… Me liga, sua linda! 😉

Link do IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1981115/?ref_=ttfc_fc_tt

Trailer maroto:

.

.

thor the dark world (20)

.

.

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

Anúncios

{#Top5: Filmes Bons e Trash Para Assistir no Halloween}

Filmes para o Halloween

Ritmooooo é ritmo de festa!!!!

É Dia da Bruxas, minhas leitoras! Época de você tirar do seu guarda-roupas aquela fantasia de bruxa sexy que você usa há uns 5 anos e descobrir que não cabe mais nela pelos litros de sorvete que você tomou no último ano. E como somos brasileiros com muito orgulho de nossa amada pátria tupiniquim, estamos comemorando o Dia do Saci (Pois Halloween é pros posers).

E possuídos pelos espíritos do mal, montamos aqui duas seleções de filmes de terror para você assistir nesse dia tão batuta: uma para você não conseguir dormir à noite e outra para você rir litros das tosquices que nenhuma comédia nos proporcionaria.

Por mais que esteja na tag #Top5, nenhuma das listas está classificada do melhor pro pior, ou vice-versa. Eles só estão simplesmente listados. Todos são tão bons quanto uma Iogurteira Top Therm 😉

Filmes para o Halloween

#Top5 – Bons filmes de Terror que você precisa conferir:

Minha intenção era de tentar dar dicas de alguns filmes que não são tãããão conhecidos e sair um pouco das listas clássicas dos grandes filmes de terror. Mas não dá… Terão muitos filmes aqui que muita gente deve conhecer.

Se você for procurar por aí, vai encontrar facilmente em várias listas O Iluminado, o Exorcista, Poltergeist, Alien, Bebê de Rosemary, Massacre da Serra Elétrica, Psicose, A Bruxa de Blair… São realmente os melhores e mais memoráveis. FATO. Mas vamos tentar algo diferente:

1 – [REC] 1 e [REC] 2 ( [REC], 2007 e [REC] 2, 2009)

Filmes para o Halloween

Uma produção espanhola com a temática de zumbis que realmente impressiona utilizando a técnica handycam. Uma jornalista decide fazer um programa mostrando um dia de trabalho dos bombeiros. Enquanto ela grava a matéria, eles são chamados para uma ocorrência de um ataque violento em um prédio e ela decide acompanha-los. Chegando lá, não se trata de uma ocorrência comum. Recomendo apenas o filme 1 e 2, pois contam a mesma história. NÃO SE ATREVA a assistir o filme 3. É uma merda foda.

2 – V/H/S 1 e 2 (V/H/S, 2012 e V/H/S 2, 2013)

Filmes para o Halloween

Uns baderneiros invadem uma casa “abandonada” e lá encontram uma coleção de fitas VHS. Como todo mundo em filme de terror tem que ser tapado, eles decidem assisti-las.  E o filme é uma compilação de curtas metragens “reais” de terror. Algumas poucas histórias são meio “Bléh”, mas outras são assustadoramente INCRÍVEIS. Assistam o filme 1 e o filme 2. Aposto que irão se impressionar.

3 – O Anticristo (Antichrist, 2009)

Filmes para o Halloween

Já aviso que não é do tipo de terror clássico. Acho que entra mais na categoria “perturbador”, mas vale recomendar. O filme fala sobre a depressão de um casal que, ao perder seu filho, decide se mudar por um tempo para uma casa no meio de uma floresta para tentar superar a perda. Mas, no meio do processo de luto, as coisas mudam totalmente e acontecimentos bizarros te fazem ficar sem reação quando o filme acaba.

Dica: Não assista no domingão com seus pais e seus primos pequenos. Vai ser no míííínimo constrangedor (Se é que você me entende).

 

4 – Extermínio 1 e 2 (28 Days Later, 2002 e 28 Weeks Late, 2007)

Filmes para o Halloween

Filme de zumbi, só que um zumbi diferente. Não se trata de zumbis mortos-vivos, mas zumbis infectados. Nesse filme os zumbis correm, pulam e estão infectados com um tipo de raiva. Ótimo filme de devastação epidêmica e faz The Walking Dead parecer série de criança.

5 – O Enigma do Outro Mundo (The Thing, 1982 e o “Remake” de 2011)

Filmes para o Halloween

Olha, esse entra fácil nos clássicos, mas percebi que muuuuuita gente sequer conhece esse filme ou têm algum preconceito por ser antigo. Tem uns bonecos mecatrônicos meio toscos pros padrões de hoje, mas o clima tenso de isolamento e a sensação de que ninguém é confiável faz desse filme um dos melhores do gênero. Assistam esse filme e procurem a versão de 2011, que foi vendida como um remake, mas trata-se de uma ótima “prequência”.

E agora, a parte mais divertida…

#Top5 – Filmes de “Terror” (Trash) pra se deliciar:

Pra você que tem medo ou não não curte muito um filme assustador, esses agora te farão agonizar… De rir.

Sabe aquele filme de terror que de tão ruim, mas tão ruim, dá a volta no marcador e faz ele ficar bom? Essa lista foi feita pensando justamente nessas pérolas do cinema:

1 – A Volta dos Mortos Vivos – Rave (Return of the Living Dead: Rave to the Grave, 2005)

Filmes para o Halloween

Um filme em que a história principal fala de adolescentes que resolvem fabricar psicotrópicos feitos de suco de zumbi e leva-los para uma rave. Tem tudo pra dar errado. Virou um clássico da escrotidão. Risos garantidos.

2 – Rottweiler (Rottweiler, 2004)

Filmes para o Halloween

Um cachorro zumbi do inferno meio robótico com sede de vingança. É tão ruim, tão ruim, tão ruim que dá a volta e fica bom. DICA: A cena da galinha faz o filme valer à pena.

3 – O Vingador Tóxico (The Toxic Avenger, 1984)

Filmes para o Halloween

E você aí achando que o Batman é um herói maneiro… Herói maneiro mesmo é o Toxic Avenger! Um rapaz magrelo, feio e idiota que trabalhava de faxineiro em uma academia sofre bullying em níveis estratosféricos, cai em um barril de resíduos radioativos e se torna um monstro gigante que protege os desamparados. A voz de lord inglês do monstro vai fazer você amá-lo.

4 – Todo mundo quase morto (Shaun of the Dead, 2004)

Filmes para o Halloween

Tradução do nome do filme ridícula para o mercado nacional, eu sei. Mas esse filme é uma comédia inglesa que tira um sarro dos filmes clássicos de zumbi. Hilário.

5 – A Morte do Demônio (Evil Dead, 1981)

Filmes para o Halloween

Esse é Cult. Todos que assistem Evil dead saem apaixonados pelo Ash, o personagem principal. Típico filme de casa abandonada possuída por um capetão que curte um trollagem violenta. Esse filme tem duas continuações que você pode assistir se gostar do primeiro: Evil Dead II e Army of Darkness. Saiu um remake sério nesse ano, mas perdeu o charme toscão do filme original. Evil Dead é o clássico dos clássicos trash.

BÔNUS: O Segredo da Cabana (The Cabin in the Woods, 2012)

Filmes para o Halloween

Esse filme foi um dos melhores que eu assisti ano passado. Até a metade do filme, é um clichê de filmes de terror tão grande que quase parece um episódio do Scooby-Doo. Mas depois da metade o filme dá uma reviravolta com um duplo twist carpado e vira algo… ÚNICO. Não posso dar mais detalhes para não estragar a experiência.

 

Faltou muita coisa, eu sei, mas é o que tem pra hoje!

 

Então coloque uma abóbora na cabeça do seu bofe e o faça bater de casa em casa pedindo gostosuras para você.

E se não tiver bofe… Me liga, sua linda! 😉

Se tudo isso ainda não foi aterrorizante o suficiente para você, olhe isso:

Filmes para o Halloween

Isso sim dá medo!

..

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Sessão Pipoca: Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças}

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Tire aquele pote de sorvete de flocos do congelador, prepare os lenços de papel e se enfie nas cobertas, pois hoje é dia de chorar as pitangas das desilusões amorosas!

Sim, minha amiga Feminina & Compulsiva, prepare-se, pois hoje EU VOU LHE FAZER CHORAR! E não pense que será fácil me vencer, pois para isso eu tenho uma arma fulminante que vai entrar feito uma bala nesse seu coraçãozinho de mulher que se acha madura mas que não passa de uma princesinha da Disney.

E a minha arma se chama O Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, 2004)

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Apagar algo da mente, dependendo da circunstância, pode até parecer interessante, não?

Existe algo que você gostaria de apagar totalmente da sua memória? Um trauma de infância, alguma coisa ruim que você tenha feito, um animal de estimação que faleceu, alguma pessoa que te machucou, o último filme do Super Homem?

(Pausa de sofrimento pelo último filme do Super Homem - Super Homem sem cueca por cima da calça não me representa!)

Pausa de sofrimento pelo último filme do Super Homem (Super Homem sem cueca por cima da calça não me representa!)

E uma desilusão amorosa? Todo mundo já passou por uma. Algumas são suaves, mas outras te destroem por dentro e te fazem desidratar de tanto chorar. Imagine-se no calor dos acontecimentos, em que a dor beira o insuportável, em que você não está raciocinando direito, se tivesse a oportunidade… será que você consideraria apagar tudo isso, todos os momentos, toda a dor da sua mente? É pra se pensar.

A história básica do filme é mais ou menos essa: Joel (Jim Carrey), um sujeito retraído, chato, contido, com uma vida que segue uma rotina de merda, certo dia conhece Clementine (Kate Winslet), uma mulher impulsiva, de cabelo colorido, roupas incomuns e tagarela. Ambos são opostos e dessa dissonância nasce um amor intenso e até um pouco cômico.

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Mas nem tudo são flores, as coisas não dão certo e a relação acaba (preste atenção que eu disse “relação” e não “amor”). Como se não bastasse Joel ficar destroçado pelo fim da relação, ele descobre que Clementine se submeteu a um procedimento em que apagava de sua mente todas as lembranças desse relacionamento. Num momento de ira, ele decide procurar o médico que conduziu esse procedimento em Clementine e pede para que também a apague de sua mente.

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Até aí tudo “OK”, se não fosse pelo simples detalhe: Joel se arrepende no meio do procedimento. E o filme é basicamente Joel lutando (dentro de sua própria mente) de todas as maneiras possíveis para manter aquelas lembranças vivas dentro de si.

 Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

*Não, isso que eu escrevi acima não é spoiler, fique tranqüila. É quase que o plot base do filme.

Incrível ideia não? O filme segue uma linha não linear e você tem que pensar um pouco para entender a ordem das coisas. Não é pra qualquer pessoa. Imprevisível até a última cena. Somado a isso, temos as cenas dentro da mente de Joel que são MARAVILHOSAS, mostrando a complexidade e a maluquice da cabeça de uma pessoa de forma primorosa. (Deixa “A Origem” no chinelo. Sério.)

Não é à toa que o roteirista Charlie Kaufman levou o Oscar de melhor roteiro original por esse filme. Uma coisa divertida é ver a inversão de esteriótipos dos atores: Estávamos acostumados a ver Jim Carrey como aquele comediante louco, escrachado e Kate Winslet como a mina ESCROTA de Titanic que deixa o coitado do Jack na água congelante pra virar picolé de baleia.

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Em Brilho Eterno ambos estão atuando BRILHANTEMENTE em papéis completamente opostos daquilo que vinham fazendo. Pena Kate não ter levado Oscar de melhor atriz naquele ano.

E PASMEM: Sabem quem era cotado para fazer o papel de Joel? O Sr. Nicholas Cage.

Deus é pai!

Deus é pai!

As histórias paralelas à principal são igualmente mágicas, com um elenco coadjuvante incrível: Elijah Wood (depois da relação hétero-duvidosa que teve em O Senhor dos Anéis), Mark Ruffalo (antes de virar um monstro verde), Kirsten Dunst (mais sexy do que sua própria Mary Jane) e Tom Wilkinson.

Já vi muitos filmes serem cultuados, mas Brilho Eterno possui os fãs mais apaixonados de todos. Afinal, não é qualquer filme que consegue ser um drama cômico com toques de ficção científica que te faz chorar feito uma criança no final.

Vou assumir aqui: Choro sempre que assisto. #prontofalei

Não necessariamente pela história do casal, mas porque é impossível não se identificar. Brilho Eterno faz você resgatar todos os momentos marcantes (e muitas vezes traumáticos) de sua vida e te faz pensar: Será que esquecer é o melhor caminho? Será que, no final, os bons momentos não se sobrepõe aos maus momentos? E, como o próprio cartaz do filme diz, é possível apagar alguém da sua mente, mas será que é possível fazer o mesmo com o coração?

Acredito que o trauma, a perda, a dor são coisas que não sabemos lidar direito, mas nos moldam. São peças fundamentais para que a gente reflita e evolua. O coração demora a aceitar que um ciclo se fechou ou que um amor acabou, mas temos sempre que manter as lembranças, pois elas nos mostram que nosso passado foi real.

Feliz é a inocente vestal!

Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida.

Brilho eterno de uma mente sem lembranças

Toda prece é ouvida, toda graça se alcança.”

(Alexander Pope)

 

(Poderia escrever textos e mais textos sobre esse filme, mas isso ficaria gigante.)

DICA: Preste atenção no cabelo da Clementine. Ele não só delimita a personalidade dela como o tempo do filme.

DICA: Preste atenção no cabelo da Clementine. Ele não só delimita a personalidade dela como o tempo do filme.

Portanto assista esse filme, chore horrores e apague seu bofe da cabeça.

E depois que fizer isso… Me liga, sua linda! 😉

Quero ver você apagar essa postagem da memória.

Link do IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0338013/?ref_=nv_sr_1

Trailer:

 

.

.

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Em Cartaz: Gravidade}

gravidade

Lambuze seus dedos na manteiga da pipoca e limpe na cadeira da frente, pois hoje é dia de cinema!

E hoje gente, temos a oportunidade (quase que única na vida) de indicar um filme que entrará para a história do cinema e que aparecerá em inúmeras listas de “Melhores Filmes de todos os tempos” na posteridade.  O filme de hoje é Gravidade (Gravity, 2013) de Alfonso Cuarón.

 gravity (4)

Clássico. Essa palavra define o que eu vi depois de sair do cinema. A sensação que me deu foi de ter acabado de ver um filme do Kubrick recém saído do forno. Infelizmente, sou uma criança e não tive a oportunidade de assistir um filme do Kubrick no cinema. Mas agora tenho um consolo: Não vi Kubrick, mas vi Cuarón!

O diretor mexicano Alfonso Cuarón já tem no currículo grandes sucessos como Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban e o magnífico Filhos da Esperança, mas em Gravidade ele não só se superou como colocou seu nome entre os grandes e intocáveis diretores de cinema. Inicialmente, foram selecionados para os papéis principais do filme Angelina Jolie e Robert Downey Jr. , porém ambos desistiram de fazer seus papéis antes de iniciarem as filmagens (Ou seja, cagaram bonito pro filme). Portanto, foram escolhidos como “tapa-buracos” dois atores desconhecidos, que provavelmente você nunca ouviu falar: Sandra Bullock e George Clooney.

Aposto que depois que o filme ficou pronto, as reações foram mais ou menos essas:

gravity (2)

#xatiados hue hue hue

Gravidade não é um filme de história ou trama complexos. É até simples demais: Uma equipe de astronautas está fazendo uma manutenção de rotina no telescópio Hubble quando são alertados de que os russos destruíram um de seus satélites e a explosão causou uma reação em cadeia, destruindo vários outros satélites e gerando uma enxurrada de destroços na órbita terrestre (Russos Malditos!). Os destroços atingem essa equipe e o filme fala da tentativa de sobrevivência no espaço dessas pessoas.

gravity (5)

 E não pense que se trata somente de um filme de ficção científica. Longe disso! É um filme de sobrevivência. E sobrevivência no local mais inóspito possível. No espaço a vida é impossível (e o diretor deixa isso bem claro na primeira cena do filme).  Nem o Bear Grylls ou o MacGyver (Magáááááiver) sobreviveriam.

gravity (3)

Toda a parte tecnológica e grandiosa fica em segundo plano e serve como estrutura para o drama da personagem de Sandra Bullock, tanto é que o lado emocional do filme se sobrepõe ao lado visual. Você cria uma ligação tão grande com aquela personagem que você perde o ar junto com ela, fica tenso, angustiado e torce com todas as suas forças para que ela sobreviva. Você não sabe se fica tenso pela situação ou admirado pela beleza do filme.

gravity (6)

O filme é tecnicamente perfeito: Fotografia impecável, trilha sonora, efeitos sonoros, edição e efeitos especiais que parecem mais reais do que os vídeos da NASA. Se você tem labirintite, não veja esse filme. A câmera não para quieta e gira mais que o Pião da Casa Própria. Ela vai do plano panorâmico ao ponto de vista dos astronautas, não existe chão, não existe em cima, embaixo, não existe ponto de referência… Então todos os ângulos são possíveis. Sabe o que é isso? É o diretor tentando fazer (e conseguindo de forma extremamente bem sucedida) você se sentir no espaço de verdade.

Para você ter noção, o cara dirige tão bem que ele consegue fazer você sentir claustrofobia no espaço. NO ESPAÇO! Quer mais espaço de sobra do que no… Espaço? (Huahuahuahua Eu sei que essa frase ficou estúpida, mas deu pra sacar a contradição).

Tem alguns furos técnicos espaciais? Sim, tem. Afinal é um filme de ficção e não um documentário. Mas são coisas que só a galera na NASA e o astronauta brasileiro Marcos Pontes vão perceber.

*Sempre que eu penso no Marcos Pontes me vem isso na cabeça:

gravity (1)

Huahuahuahua…

Espere encontrar algumas referências (propositais ou não) a 2001 Uma Odisseia no Espaço, Wall-E, Alien (só que a Sandra Bullock é gostosa e não baranga como a Sigourney Weaver), Apolo 13… Ou seja, tem de tudo!

E antes de terminar: MEU JÉSUIS, que corpo esse da Sandra Bullock, ein?

Pasmem: ELA TEM 49 ANOS (com corpo melhor que muitas com 20)!

gravity (1)

Benzadeus!

Veja no IMAX 3D. Sério, as coisas voam na sua cara.

Portanto, na falta de um foguete, agarre seu bofe pelo cangote e peça para ele te levar às estrelas (Se é que você me entende).

 E se não tiver bofe… me liga, sua linda! 😉

Link do IMDB: http://www.imdb.com/title/tt1454468/

Trailerzinho maroto:

.

.

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Em Cartaz: É o Fim}

this is the end

Lambuze seus dedos na manteiga da pipoca e limpe na cadeira da frente, pois hoje é dia de cinema!

Sem programinha para o final de semana? Relaxa, que o F&C está aqui para te salvar e indicar um ótimo filme para você. E a indicação de hoje é…. É o Fim (This is the end, 2013) de Evan Goldberg e Seth Rogen.

this is the end (2)

Se o mundo acabasse amanhã, onde você gostaria de estar?

Numa praia, na igreja, na casa dos seus pais, num bar com os amigos, pulando de paraquedas, numa sauna gay, usando psicotrópicos, numa suruba doida ou dormindo? Depois de ver É o fim (This is the end) você com certeza vai responder: NA CASA DO JAMES FRANCO!

this is the end

This is the end é uma comédia ABSURDA com toques de terror,  num nível de bizarrice que eu não vejo desde TED (o ursinho politicamente incorreto). E a sinopse do filme é mega simples: James Franco dá uma festa em sua casa, convida mó galera de Hollywood e acontece, nada mais, nada menos que o Apocalipse.

this is the end

Muitos morrem, o mundo desaba e o único lugar para se abrigarem é na casa do James Franco. A partir daí, o filme vira do avesso e o que parecia ser um filminho batido de festa com gente bêbada e drogada, vira uma obra de arte.

NOTA PESSOAL: Eu confesso que relutei bastante pra assistir esse filme. Uns bons meses atrás, o Tiago, um amigo meu e da galera toda do blog, veio falar comigo o quão foda esse filme ia ser. Eu vi aquilo, torci o nariz e respondi: “Eu nunca vou ver isso. Eu odeio o James Franco e vai ser uma merda foda!” (Posso escrever palavrão aqui, né?)

Esse cara aqui é o Tiago:

this is the end

O tempo passou e umas semanas atrás pintou a oportunidade de assisti-lo. Pensei comigo mesmo: “Não to fazendo nada mesmo…” e acabei vendo. Mordi a língua, galera. O filme é tão nonsense, tão errado, tão “ruim” que dá a volta e fica bom. O Tiago só não me xingou, pois ele é uma pessoa muito fina, que nunca diria algo pra deixar um amiguinho pra baixo… Só que não.

O filme tem um elenco incrível, contando com Seth Rogen (Segurando as Pontas), James Franco (127 Horas), Jonah Hill (Superbad) , Craig Robinson (The Office), Emma Watson (Harry Potter), Michael Cera (Juno), Jay Baruchel (Menina de Ouro), Rihanna (Sim, a própria), Christopher Mintz-Plasse (O eterno McLovin) e muito mais. E o mais legal de tudo: ELES “INTERPRETAM” ELES MESMOS!

 this is the end

A graça do filme é ver essa imagem “torta” dos atores, a forma com que eles zoam de si mesmos e as situações malucas em que se metem. É impagável ver o certinho Michael Cera cheiradaaaaasso de cocaína dando um tapa na bunda da Rihanna, Jonah Hill com tendências homossexuais ou a Hermione trocando a varinha por um machado de lenhador.

this is the end

this is the end

É um filme que não se leva à sério, com falas que parecem ser improvisadas e naturais. Mas já aviso: Esse é do tipo de filme que ou você ama ou você odeia. É um humor muito peculiar. Mas vale à pena conferir simplesmente para descobrir a importância de um Milky Way no fim do mundo.

this is the end

Portanto, prepare suas barricadas, afie suas facas, faça estoques de água e comida e peça para seu bofe ir no mercado te comprar um Milky Way. E se não tiver bofe… me liga, sua linda! 😉

“TAKE YOUR PANTIES OFF!!!”

this is the end

Link do IMBD: http://www.imdb.com/title/tt1245492/?ref_=fn_al_tt_1

E o Trailer pra te deixar mais curiosa:

.

.

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Sessão Pipoca: Clube dos Cinco}

PHO-10Sep23-254285Bote seu moletom, vista seu All Star e pegue seu walkman, pois hoje vamos mergulhar nos anos 80 com o filme definitivo sobre a juventude: O Clube dos Cinco (The Breakfast Club – 1985)

Aí você me fala: “Poxa, Caio! Por que raios eu veria um filme de Sessão da Tarde?”

Simples:  Clube dos Cinco é um filme que muda vidas. Ponto. Digo isso com toda a contundência, pois posso me usar como exemplo. Clube dos Cinco mudou minha vida e acho que é minha obrigação semear a mensagem desse filme.

Do diretor John Hughes, Clube dos Cinco marcou uma geração. Uma não, várias. Produzido em 1985, o filme mostra 5 alunos que tiveram que ir para a escola no sábado cumprir castigo por más atitudes que tiveram durante a semana. O diretor, Richard Vernon, os coloca na bilblioteca e pedem para que escrevam uma redação, de no mínimo mil palavras, descrevendo o que eles pensam sobre si mesmos. Eles não são amigos e são totalmente diferentes um dos outros. Neles vemos os seguintes estereótipos:

O Nerd – Brian Johnson (Anthony Michael Hall)

The_Breakfast_Club

A Patricinha – Claire Standish (Molly Ringwald)

*Nota: Para mim, a ruiva mais linda EVER. Inspirem-se, garotas.

various Photofest 2

O Marginal – John Bender (Judd Nelson)

bc3

O Atleta – Andrew Clark (Emilio Estevez)

photo

A Maluca – Allison Reynolds (Ally Sheedy)

Clube dos Cinco

Que jogue a primeira pedra quem nunca se encaixou em nenhuma dessas categorias, mesmo que de leve.  O filme começa com muitos conflitos entre os jovens e com um clima de comediazinha fraca para crianças. Mas esse ritmo meio parado do começo e o aparente clichê de filme escolar é apenas uma introdução para te preparar, minha leitora F&C, para um mergulho de cabeça nos dramas e no íntimo de cada um daqueles jovens.

Conforme o filme vai passando, esses jovens começam a se entender, vendo que possuem muito em comum. E você percebe que esses estereótipos de cada um são, nada mais, do que máscaras que eles aprenderam a vestir para se adaptarem à sociedade e por conta de suas experiências familiares.

photo

E o ponto principal do filme é esse: Como os ideais e o relacionamento familiar influenciam o rumo da nossa vida. Não é com todo mundo, mas sabemos que sempre existe uma pressão paterna de que você sempre tem que ser o melhor, o perfeito, a princesa, o machão, o zoador, o esperto. Eu mesmo já prestei um vestibular pra ciências contábeis por pura pessão familiar para ter uma “carreira que dê dinheiro”. Quem nunca sofreu esse tipo de pressão?

Aí eu te pergunto: Você é hoje algo que planejaram que você fosse ou é aquilo que você sempre sonhou em ser? Até que ponto as máscaras que você vestiu na sua vida não a fizeram esquecer quem você é de verdade?

É pra se pensar.

E não pára só por aí! O filme também trata o excesso de atenção dos pais, pais que ignoram os filhos,  pais que resolvem as coisas através da violência física e moral, pais que esperam que você seja aquilo que eles nunca foram  e o quanto a sociedade despresa os jovens simplesmente por achar que eles não são maduros o suficiente para serem levados à sério. Essa frase do David Bowie (que aparece logo nos créditos iniciais) mostra bem isso:

cinco

“…E essas crianças em que você cospe, enquanto elas tentam mudar seus mundos, são imunes às suas consultas. Elas sabem muito bem pelo que atravessam…”

E esse filme é considerado o MELHOR filme de jovens já feito, pois os personagens são como você, como eu… Um filme da nova geração que chega muuuuito perto da perfeição do Clube dos Cinco é As Vantagens de ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower – 2012). Com certeza você lerá um texto meu sobre ele logo, logo.

Independente da sua idade, esse filme trás de volta todas as suas angústias e traumas da adolescência e faz você ter saudades do tempo em que as responsabilidades e a vida de adulto ainda não guiavam sua vida. Um tempo onde todos sonhávamos mais.

cinco

“Quando você cresce, seu coração morre”

De arrepiar, né? Pense bem nisso e tente sempre manter aquela criança que está perdida lá no fundo do seu coração viva. Eu tento todos os dias.

Então  obrigue seu bofe a achar esse filme para você e te dar de presente de dia das crianças. E se não tiver bofe… me liga, sua linda! 😉

Caso ainda não tenha visto na sessão da tarde:

.

.

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Em cartaz: Invocação do mal}

the conjuring

Lambuze seus dedos na manteiga da pipoca e limpe na cadeira da frente, pois hoje é dia de cinema!

A empolgação tomou conta de mim e cá estou eu escrevendo mais um texto para o deleite dessa mulherada compulsiva. E hoje farei uma indicação de um filme que está nos cinemas (Estreou dia 13). Sim, você pode assisti-lo sem ter que procurar em prateleiras de locadoras empoeiradas ou na locadora da pirataria online.

E o filme indicado é Invocação do Mal (The Conjuring) de James Wan.

Sim, gatas,  trata-se de um filminho de terror. TERROR! Sei que existe uma relação de amor e ódio do público feminino com filmes horripilantes, mas se você for do time das que têm culhões (no sentido figurado, lógico. Mas se tiver de verdade, nada contra!) vai curtir muito esse aqui.

Nota mental: Sempre que eu falo de filmes de terror me vem na cabeça o vídeo do “Ai que susto!” (Digita isso no YouTube e veja o primeiro vídeo que aparecer. XD)

James Wan é nada mais, nada menos que o diretor do primeiro filme da Saga Jogos Mortais. Filmão, né? Mas o que mais me deixou tranqüilo é que ele foi o diretor apenas do primeiro filme (que é uma obra de arte) e não participou da triste decadência de suas continuações. Então, pode-se dizer que ele tem credibilidade no assunto.

O filme é baseado em fatos reais, mas é lógico que nem tudo aquilo que você verá na telona realmente aconteceu. Mas que dá um frio na barriga só de saber disso… ah dá! Ele se passa nos anos 70 e é sobre um casal com 5 filhas (é, eles não tinham TV) que se muda para uma casa de campo bem antiga, levemente macabra, e há algum tempo abandonada. Aí você pensa: “Casa antiga, abandonada e MEIA DÚZIA de mulheres?! É praticamente um banquete pra Satanás!”

IMG_8649.dng

Previsivelmente, eles começam a ser assombrados por uma presença obscura e procuram ajuda com um casal de investigadores paranormais (ainda acho que deveriam ter chamado os Caça Fantasmas) Ed e Lorraine Warren.

Foto 2

Clichê lendo assim né? Mesmo sendo um plot meio batido e não entregando nada que já não tenha sido visto antes, esse filme realmente faz valer o preço do ingresso. Cenas muito bem dirigidas, clima de angústia e realismo dão ao filme um ar perturbador muito interessante.

IMG_7586.dng

Não vá ao cinema esperando um filme de sustinhos previsíveis ou pessoas possuídas pelo ritmo Ragatanga. Vá esperando um filme tenso, sombrio, em que você realmente se preocupará com o bem estar daquela família (e com a sua volta pra casa).

Foto 1

Não é uma obra prima do terror, mas em meio a tantos fiascos do gênero nos últimos anos, esse filme ganha destaque por realmente entregar aquilo que propõe.

E nota: Você nunca mais vai olhar para as suas bonecas do mesmo jeito.

IMG_6285.dng

Portanto CORRA, chame seu bofe e o obrigue a te levar pra ver esse filme. É garantia de sucesso! Se não tiver bofe… me liga, sua linda! 😉

Só pra dar mais vontade:

.

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

{Sessão Pipoca: Antes do Amanhecer}

Before-Sunrise

Nessa postagem há uma estréia combo: finalmente estrearemos a categoria “filmes” e  estrearemos também as colaborações no F&C.
Esse é o texto de estréia do novo colaborador o Caio Botter (no “equipe” do blog, alí em cima, você lê mais sobre ele), que falará principalmente na categoria Filmes e Séries.

Vamos estrear essa categoria falando de uma obra de arte do diretor Richad Linklater que revolucionou o cinema romântico pseudo-cult norte americano: A Trilogia Antes do amanhecer.

Vou abordar apenas o primeiro filme, pois seria impossível falar dos outros dois sem dar spoilers.

Para começar a falar desses filmes, eu tenho que fazer uma citação a uma letra do Nando Reis: “O amor pode estar do seu lado”

Bonito, não? Acho interessante essa idéia de que o amor pode esbarrar em você quando menos se espera, seja em uma fila de banco, na mesa ao lado no bar, em um ponto de ônibus ou às 4h da manhã em uma balada onde você já pegou 20 caras, já bebeu 10 tequilas e sua dignidade já foi embora faz tempo. Esquisito, porém acontece.

Aí eu te pergunto, ó mulher feminina & compulsiva: Qual foi o lugar mais inusitado onde recebeste uma flechada fulminante de um cupido fanfarrão? Nesse filme foi em um trem.

Os personagens principais: Jesse (Ethan Hawke), um norte americano indo para Viena e Celine (Julie Delpy), uma francesa à caminho de Paris, se conhecem em um trem que cruza a Europa da forma mais casual e comum possível: Rapaz vê a menina, rapaz acha a menina atraente, rapaz puxa um assunto banal e os dois conversam. Todo mundo já passou por isso, não é? Os dois conversam no trem e fica clara a sintonia do casal apesar do abismo cultural entre um norte-americano e uma francesa. E isso é muito engraçado, pois os dois simplesmente não conseguem parar de falar. E não somente aquele papinho banal de desconhecidos, mas assuntos malucos e profundos de duas pessoas que parecem se conhecer há anos. Quando o trem chega em Viena, o adeus é inevitável, mas Jesse tem seus 6 segundos de coragem e convida Celine para descer com ele e passarem um dia juntos na cidade.

Before sunrise 1

Qualquer garota normal negaria de imediato, mas duvido que nem mesmo você, minha leitora F&C, resistiria ao xaveco e à malemolência EthanHawkiana. Pois é, a Celine também não resistiu. Ela se permite mudar seu itinerário para ver o que aquele rapaz desconhecido teria para lhe oferecer. Essa coragem de ambos os lados, eu acredito, que seja o que falta na vida de muita gente: a coragem de se abrir para o desconhecido.

Os dois descem em Viena e esse é apenas o plot inicial de uma das maiores histórias românticas já vistas na telona. Porém, essa aventura pela cidade tem hora para acabar. Na manhã seguinte Jesse tem que pegar seu vôo de volta para os EUA e Celine tem que pegar seu trem para Paris. Ambos sabem que seria muito difícil se encontrarem novamente pela distância que separa suas vidas. Então, o que eles fazem? Decidem aproveitar ao máximo aqueles momentos juntos e fazerem aquelas horas se tornarem realmente especiais.

Before sunrise 2Before sunrise 3

E se você acha que vai encontrar apenas um romance água com açúcar com final feliz, você está completamente enganada. Diálogos inteligentes e filosóficos recheiam todo o filme, que possui uma fotografia primorosa e uma construção de personagens como poucas vezes vista. É impossível não ficar angustiado ao perceber que aquelas horas estão chegando ao fim. O realismo dos dilemas dos personagens, a veracidade de suas falas e pensamentos e a sensação de que aquela história não é apenas um conto de fadas, faz com que qualquer um que já teve uma grande paixão mal resolvida se identifique com o casal.

2lrg14

O diretor Richard Linklater declarou que escreveu esse filme baseado em uma experiência real de sua vida. Porém, descobriu muitos anos depois que sua “Celine inspiradora” havia falecido semanas antes do início das filmagens de Antes do Amanhecer.  Triste.

Esse filme foi lançado em 1995 e sua continuação (Antes do pôr do sol) veio apenas em 2004. O mais brilhante de tudo isso é que o tempo não passou apenas para nós, rélis espectadores, mas também para os personagens e atores. O terceiro filme (Antes da meia-noite) estreou em junho desse ano e novamente mostra o passar do tempo para os personagens. Então, em três filmes vemos 3 épocas diferentes do casal (vinte e poucos anos, trinta e poucos anos e quarenta e poucos anos) e como eles evoluíram nesse período. E o projeto do diretor (e dos atores) é de continuarem fazendo filmes sobre essa história até onde der, sempre respeitando o intervalo de 9 anos entre um filme e outro. É o projeto de conseguir retratar a vida inteira de uma história de amor. Genial, não?

tumblr_mdcp7dSkCv1qm831xo1_500

Em boas locadoras você encontra os dois primeiros filmes. Mas quem vai à locadoras hoje em dia, né? Já os encontrei também nessas promoções malucas de lojas como Saraiva e Livraria cultura por uns R$15,00 cada. Você também pode se aventurar no mundo underground dos torrents, mas não rola explicar como faz aqui pra não pegar mal caso o blog comece a dar rios de dinheiro no futuro. Seja como for, VEJA ESSES FILMES! Obrigatório para um bom repertório cinematográfico de qualquer mulher inteligente.

Para conhecer um pouco mais (só achei o trailer sem legendas):

.

Se não viu, comente o texto. Se já viu, nos fale o que você achou. Se não viu e nem quer ver, nos conte o porquê dessa revolta, meu amor…

.

.

F&C - Caio Botter

Você pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥