{Em Clima de Copa: A Seleção Brasileira e Suas Camisas}

Mudanças Brasil 1

Hoje foi dia de sorteio dos grupos da Copa do Mundo no Brasil. Pra não deixar isso passar batido, o Feminina & Compulsiva vai agraciar suas leitoras com uma análise das camisetas que a seleção usou no decorrer das Copas.

Pois é, galera, fui contratado pra falar sobre filmes, mas to dando uma de Severino quebra-galho e vou falar sobre MODA! Eu nunca me imaginei falando sobre isso, nem na mais remota possibilidade de reencarnação, então fujam para as colinas, pois Caio Botter vai analisar modelitos e dar uma opinião de “macho alfa”.

Copa do Mundo. Todo mundo é patriota nesssa época né? Tem gente que não torce para o Brasil, seja por não curtir futebol, seja por achar palhaçada esse patriotismo repentino, seja por achar que pessoas lucram com isso por trás dos panos (principalmente políticos). Eu não sou fã fã fã de futebol. Pra falar a verdade, acompanho muito mais futebol americano. Acompanho tabelas de classificação e vejo as finais (caso meu time chegue lá, lógico). Mas quando a seleção entra em campo eu visto minha camisa amarela e torço de verdade. Muitos podem achar isso ridículo, mas eu fui educado assim. Algumas das minhas melhores memórias de infância são das copas de 94 e, principalmente, 98, com a família reunida na frente da TV torcendo pra Ronaldo e agregados.

Eu sempre achei a camisa da seleção a mais linda de todas. Eu adoro amarelo e acho uma camisa ousada, alegre, que trás um peso muito grande para quem olha. Mas essa camisa canarinho muda mais que a Luana Piovani troca de homem. Então, vamos fazer uma analise bocó das camisas que a seleção usou no decorrer das copas do mundo.

Copas de 1930 e 1934

Mudanças Brasil 1930

No início de tudo a camisa brasileira era branca e azul. Tipo, “Oi?!”. Por que raios BRANCA? Por causa das estrelas da bandeira? Porque alguém deixou as camisas de molho na cândida e esqueceu? Não sei, mas tem cara de tudo, menos de Brasil. Pra falar dos detalhes do modelito, nota-se uma gola pólo trançada com cordão e com o símbolo da CBD (Confederação Brasileira de Desportos).

Copa de 1938

Mudanças Brasil 1938

Mais uma camiseta branca, só que com gola V beija-rapazes e o símbolo da CBD grandão e parecido com o que viria a ser da CBF.

Copa de 1950

Mudanças Brasil 1950

Gola pólo mas sem os cordões. Camisa da lendária Copa do Brasil, em que fomos derrotados pelo Uruguai num Maracanã lotado.

Copa de 1954, 58, 62 e 66

Mudanças Brasil 1954

O trauma foi tamanho pela derrota em casa na copa anterior que a camisa branca foi banida, e a clássica camisa amarela começava sua jornada pela história do futebol, conquistando os títulos de 58 e 62.

Copa de 1970

Mudanças Brasil 1970

A camisa imortalizada pelo time mágico de Pelé, tricampeão mundial, abandonou a gola pólo e aderiu à gola careca (É isso mesmo, produção?). Nessa copa o Brasil levou o caneco pra casa, que foi roubado e DERRETIDO. Já vi ladrão burro, mas igual a esse… Brasil é isso!

Copa de 1974

Mudanças Brasil 1974

Em 74 a grande mudança foi a inclusão das estrelas sobre o logo da CBD que representavam os títulos mundiais que a seleção havia conquistado até então. E ficou com essas 3 estrelas por 20 anos, até a conquista de 94.

Copa de 1978

Mudanças Brasil 1978

Em 78 a camisa ficou com cara de Adidas, com as clássicas listras saindo dos ombros e indo até as mangas.

Copa de 1982

Mudanças Brasil 1982

O grande time de Zico (considerado por muitos o melhor time de todos os tempos) vestiu uma camisa com o escudo da recém formada CBF (Confederação Brasileira de Futebol). O escudo trazia uma imagem da taça Jules Rimet e um ramo de café.

Copa de 1986

Mudanças Brasil 1986

Pela primeira vez o nome do patrocinador passa a aparecer no lado direito do peito. A gola careca foi abandonada dando lugar à tão clássica gola pólo em V.

Copa de 1990

Mudanças Brasil 1990

Quase nada muda pra camisa de 86, só a gola que fica um pouco mais fechada.

Copa de 1994

Mudanças Brasil 1994

O Brasil pode ter sido tetracampeão mundial nessa copa, mas fazer uma camisa dessas pra seleção usar foi mais mancada do que encoxar a mãe no tanque em sexta feira santa. Esses escudos em marca d’água são uma das coisas mais bregas que já vi. Gézuis!

Copa de 1998

Mudanças Brasil 1998

Agora com quatro estrelinhas no peito, a Nike entra como fornecedora de material esportivo e dá uma ajeitada no visual que foi destruído em 94.

Copa de 2002

Mudanças Brasil 2002

Nessa camisa a tradição foi dar uma volta. Encheram a camisa com detalhes verdes, usaram um amarelo cegante e, na minha opinião, ficou mega poluída. Mas enfim: Brasil pentacampeão.

Copa de 2006

Mudanças Brasil 2006

A tradição volta, entra mais uma etrela no peito, uma gola padre e o escudo da CBF é colocado dentro de um contorno. Arrisco a dizer que foi uma das camisas mais bonitas da seleção que eu tive a oportunidade de ver.

Copa de 2010

Mudanças Brasil 2010

A camisa volta a ser bem básica, remetendo à camisa da campanha de 70. Sem frescuras e sem poluição.

Copa de 2014

Mudanças Brasil 2014

Pouca mudança, só a gola mesmo que mudou. Mas a Nike esqueceu de ler o estatuto da CBF que torna oficial o uso da palavra BRASIL sob o escudo. É, vão ter que fazer tudo de novo.

Bom, é isso ae. Viva a seleção, Viva o Brasil, Viva Raul, Viva o Cristo Redentor e Viva a Vanusa cantando o Hino Nacional:

 .

.

.

F&C - Caio BotterVocê pode seguir o Feminina & Compulsiva também nas redes sociais:
♥   Facebook   ♥   Instagram   ♥   Pinterest   ♥   YouTube   ♥   Twitter   ♥

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s